Elementos Motivadores e Seres Motivados

Free Grunge Textures c
Standard

Hoje, principalmente no ambiente corporativo, as pessoas falam muito sobre Elementos Motivadores e Seres Motivados, mas nem sempre as pessoas conseguem distinguir uma coisa da outra.
Todos sabemos que a motivação é uma força que nos move, ou seja, um motivo para agir, porém poucos sabem que existe uma grande diferença entre “ser” e “estar” motivado.
Para iniciarmos nossa discussão, precisamos entender que há dois tipos de motivações, sendo essas a interna e a externa.
Como motivação externa (extrínseca), podemos entender todos os elementos que estão fora do indivíduo, tais como, dinheiro, casa, carro, viagens, roupas, status social, reconhecimentos e honrarias, ou seja, tudo aquilo que vem de fora e que pode ser usado como combustível para manter nosso motor em pleno funcionamento, nos permitindo correr atrás de nossos sonhos e objetivos.
Sem dúvida esses elementos motivadores movem nossas vidas em boa parte do tempo. Estamos sempre ligados às nossas expectativas materiais para nos fazer acelerar ou recuar diante de situações distintas.
Como motivação interna (intrínseca), podemos entender àquilo que cada indivíduo é, suas expectativas, seus gostos. Nesse tipo de motivação, a recompensa é a satisfação pessoal oferecida pelo exercício da função em si. Como independe de fatores externos, essa motivação é mais estável e duradoura, fazendo com que essas pessoas se sejam consideradas seres motivados, ou dotados de auto motivação.
Comparando as duas realidades, podemos ver que a motivação externa nos coloca em situação constante de riscos, pois a frustração de uma, ou de várias, de nossas expectativas materiais ou meritocráticas, pode nos levar a um estado de letargia ou de desmotivação mecânica, a qual é muito mais difícil de ser resgatada.
Como a segunda provém de características internas de cada um, se torna muito mais difícil perder o fio condutor nessa busca de sucesso, pois todos os motivos que movem o indivíduo estão ligados ao “ser” e não ao “ter”
Segundo Maslow, todo ser humano necessita de elementos fundamentais para sua sobrevivência e felicidade, conforme descrito em sua pirâmide em 1954:

Pirâmide de Maslow

Um exercício fácil e super válido para a auto avaliação é colocar em um papel todos os itens que considerem motivadores.
Com base no resultado (intrínseco x extrínseco), analisem em qual dos tipos de motivação se encaixam.
Caso o resultado revele um número maior de elementos externos, há de se buscar ferramentas para alcançar esses objetivos, tais como, estudos, trabalho, especializações, etc.
Para os resultados de motivação interna, cabe direcionar o foco a coisas que traga satisfação pessoal. Coisas que tragam o prazer de fazer pelo simples fato de haver uma identificação ou um valor sobre os resultados esperados.

Ricardo Lopes


Você vai gostar de ler também:

Pessoas tóxicas, evite-as!

Free Grunge Textures 2
Standard

Buscamos sempre estar perto de quem nos faz bem e nos dá apoio. Sentimos prazer em desfrutar de ambientes positivos, divertidos e que nos preencham com boas energias, porém cada indivíduo tem as suas particularidades, e existem alguns relacionamentos que nem sempre são saudáveis, que podem drenar as nossas energias.
Este “escoamento” de energias ocorre nos relacionamentos com pessoas que, dificultam o cumprimento de algumas tarefas, deixam dúvidas sobre nós mesmos, exigem mais daquilo que podemos ser, colocam barreiras em nossos sonhos, nos fazem sentir inferiores e podem até nos dar aquela sensação de que estamos desperdiçando tempo.

Capa da Super Interessante - Setembro 2015

Capa da Super Interessante – Setembro 2012

Naturalmente, podemos e vamos nos deparar com estas situações que não são saudáveis pelo convívio com pessoas tóxicas.
Uma pessoa tóxica é aquela que tende a ser altamente negativa.
As pessoas tóxicas falam de como a vida está difícil, de como você não pode fazer isso ou aquilo. As reclamações são constantes seja da economia, governo, trabalho, amigos e todos problemas que enfrentam.

O psicólogo Jack Canfield classifica as pessoas tóxicas como “Energy Vampires“, ou seja, os vampiros de energia. Isso porque tais pessoas sugam toda energia positiva.
Como qualquer tipo de toxina, é preciso limitar sua exposição a essas pessoas ou até mesmo cortar laços para se proteger.
Ansiedade, redução do nível de autoestima, sentimento de ineficácia, irritabilidade, agressividade e falta de concentração são alguns dos efeitos, a curto prazo, de relações tóxicas que desenvolvemos no local de trabalho. O cenário pode agravar-se, à medida que os meses passam, com a perda de confiança na capacidade de trabalho e/ou o desenvolvimento de depressão e doenças relacionadas com o stress profissional como distúrbios do sono ou enxaquecas.
Destacam-se alguns perfis mais recorrentes das pessoas tóxicas:

  1.  Pessoas arrogantes
  2.  Pessoas vítimas
  3.  Pessoas controladoras
  4.  Pessoas invejosas
  5.  Pessoas mentirosas
  6.  Pessoas negativas
  7.  Pessoas gananciosas
  8.  Pessoas que julgam continuamente
  9.  Pessoas fofoqueiras

É importante identificar os relacionamentos que desgastam, analisar os motivos pelos quais estes relacionamentos são difíceis ou complicados de lidar – quais valores ou crenças são conflitantes? O problema está na outra pessoa ou nas reações que você tem com ela?
No ambiente de trabalho estes relacionamentos tóxicos podem desestabilizar qualquer funcionário, minar o clima organizacional, interferir na performance e produtividade colocando em xeque o bem-estar físico e mental das pessoas.
Preservar-se, buscar o equilíbrio e colocar em prática algumas atitudes para neutralizar a toxidade no ambiente de trabalho são fundamentais:

Impor limites:
Evitar que o comentários negativos dos outros afetem o desempenho e o senso de realização. Aprender a reagir menos às opiniões dos outros.

Praticar o autoconhecimento:
Saber claramente os objetivos e buscar caminho para chegar lá, proporciona segurança e iniciativa para concretizar suas ações e intenções.

Concentrar-se em coisas realmente importantes:
Criar uma barreira!!! Escolher as batalhas com sabedoria e conservar as melhores energias para coisas que realmente importam e tem valor.

Deixar a energia positiva aflorar:
Deixar a pessoa tóxica de lado e colocar toda energia na busca pelos objetivos e anseios de forma otimista e determinada.

Deixe a energia do bem lhe encontrar…te envolver…te elevar.

Flávia Avancini


Você vai gostar de ler também:

Doenças Psicossomáticas no Trabalho

Evil Erin
Standard

Depressão, síndrome do pânico, gastrite, gripes constantes, tontura, dor de cabeça, psoríase, entre tantas outras, são doenças que podem ser desenvolvidas no ambiente de trabalho!
Claro que vocês já ouviram falar em somatização. Apenas para relembrar: “Somatização refere-se a sintomas físicos que a medicina não consegue explicar a origem, normalmente surgem por uma descompensação emocional que abalam diretamente o sistema psíquico. O sistema psíquico abalado eleva o nível da ansiedade, que por sua vez, estimula a liberação de hormônios que podem afetar diretamente o mecanismo fisiológico mais sensível do indivíduo.”
A somatização é inerente ao ser humano. Todos estamos sujeitos a passar por esta situação tanto em casa, quanto na escola, no trabalho, nos relacionamentos com a familiares ou amorosos, situações de inadimplência ou perda de entes queridos, entre outros. É inevitável que situações difíceis e de pressão venham a ocorrer conosco. E o que fazer para impedir que os impactos destas situações se desenvolvam no nosso corpo?

  • Faça uma atividade que lhe dê prazer. Pode ser cozinhar, ler, assistir uma série na TV, rever jogos importantes do seu time, colorir, cantar. Vale qualquer coisa, sua imaginação é o limite.
  • Pratique uma atividade física. Se para você é muito difícil frequentar uma academia, faça uma caminhada, dance. Libere endorfina!
  • Conheça seu corpo e sua mente. Explore seus limites, aproxime-se de pessoas que lhe fazem bem e afaste-se das que lhe fazem sentir mal.
  • Caso seja necessário, busque orientação médica. O stress excessivo pode causar queda na imunidade e será preciso iniciar um tratamento.
  • Da mesma forma, cuide da sua mente. Considere fazer terapia, um bom profissional lhe ajudará a organizar suas ideias e observar seus pensamentos por uma nova ótica.

Todo o trabalho tem suas responsabilidades. E é impossível afirmar que, mesmo naquele emprego dos sonhos, você não terá um ou outro dia mais estressante. Você pode até ter um chefe que “pega no seu pé” afim de melhores resultados. Dentro da empresa sempre existe aquela pessoa que lhe custa um pouco mais de paciência. Mas, o prazer de trabalhar naquilo que você gosta deve ser maior do que tudo isso. Quando esse ecossistema se desequilibra e você começa a se incomodar, é o momento de rever as condições de trabalho e tomar atitudes na profissional.

Luciana Martino e Reinaldo Araujo