Dia 27 de Maio: Dia do Profissional Liberal

Web
Standard

No dia 27 de maio é comemorado o dia do Profissional Liberal, entretanto até hoje percebemos que muitas pessoas não sabem exatamente quem são esses profissionais e seu significado para a sociedade.
O profissional liberal necessariamente tem formação universitária ou técnica e liberdade para executar sua atividade, trabalhando por conta própria ou optando por atuar dentro de uma empresa. Está registrado em uma ordem ou conselho profissional e é o único profissional que pode exercer determinada atividade, o que o deixa com uma responsabilidade maior pelo serviço prestado. Possuem conhecimento específico de uma determinada área e mesmo que sejam empregados, apresentam autonomia para executar as suas atividades do dia a dia e por isso, respondem diretamente pelo seu sucesso ou seus erros. Como exemplo, podemos citar os médicos, advogados, psicólogos, dentistas, arquitetos, engenheiros, entre muitos outros.
Normalmente são confundidos com os profissionais autônomos. A diferença é que esses podem ter ou não uma qualificação profissional, mas sempre trabalham por conta própria, não sendo funcionário de ninguém. Podem atuar em diferentes segmentos. São eles os pintores, encanadores, eletricistas, etc.
Agora que sabemos a diferença entre profissional liberal e autônomo, podemos avaliar as vantagens e desvantagens dessas formas de atuação:

Vantagens:
– Dependendo da produtividade e empenho, os profissionais podem vir a ganhar muito mais do que ganhariam se estivessem empregados com carteira assinada.
– Não ficar preso às vagas do mercado de trabalho, podendo atuar na área que escolheu por conta própria.
– Flexibilidade de horário pois mesmo tendo de cumprir prazos com clientes, este profissional consegue estipular seu horário de trabalho e fazer sua própria agenda. Decide suas férias e emenda de feriados em função de sua própria demanda e interesses.

Desvantagens:
– Não poder contar com uma quantia fixa e garantida todo mês. Precisa ser uma pessoa disciplinada e organizada, para poder lidar com essas oscilações na retirada mensal.
– Em caso de algum imprevisto, acidente no trabalho ou afastamento médico, podem ficar sem remuneração caso não tenham contribuído regularmente para o INSS.
Nós da Proativa, damos parabéns ao Profissional Liberal pelo seu dia e desejamos que a sua escolha seja sempre bem sucedida!

Luciana Martino


Você vai gostar de ler também:

Empregabilidade!

sitefase
Standard

A empregabilidade pode ser compreendida como um conjunto de competências e habilidades relevantes para determinado cargo e carreira; desta forma, se o profissional está contratado, aumenta a probabilidade de a empresa investir em seu crescimento e, se por outro lado, estiver buscando um novo trabalho aumenta a probabilidade de conquistar uma excelente oportunidade.
Considerando que convivemos com um mercado de mão de obra cada vez mais exigente e as empresas buscam com rigor os melhores em suas contratações, a empregabilidade torna-se uma prioridade na vida dos profissionais.

Algumas dicas para desenvolver sua empregabilidade:
•      Avalie-se sempre, franca e verdadeiramente, destacando em seu perfil, os pontos fortes e fracos; se não satisfeito, troque ideias a respeito com um colega próximo ou mesmo com seu superior.
•      O autoconhecimento certamente conduzira você a uma melhoria profissional continua.
•      Atualize-se sempre. Quando você não busca informações relevantes para seu desenvolvimento, perde a visão real do social, do politico e, principalmente do mercado.
•      Vá ao teatro, ao cinema, leia bons livros.
•      Networking é fundamental; ligue para seus antigos amigos, convide-os para jantar, almoce com ex-colegas, envie mensagens para pessoas que não tem visto. Quem não se lembra das pessoas mais próximas, não será lembrado. Invista no relacionamento familiar e social, não se isole!
•      Divirta-se, relaxe! Assista aos jogos da sua preferencia e se possível pratique algum esporte; faz bem para saúde e para sua mente.
•      Tenha metas claras para sua carreira. Elabore seus projetos futuros e não espere que a empresa faça isto por você.
•      Na hora de escolher não pense somente no salário, mais que isso, pense no desafio do cargo e as possibilidades de carreira na empresa.
•      Trabalhe como se a empresa fosse sua, afinal sua carreira está sendo construída neste trabalho, não se satisfaça com o “mais ou menos”, dê o seu melhor! Certamente você vai aprender muito e ficará orgulhoso de si mesmo.
•      Faça de seus erros aprendizado e de acertos comemoração.
•      Invista na sua capacitação, realize cursos complementares, novas tecnologias e outras especializações que você mais do que ninguém, sabe que farão a diferença no seu desempenho.
•      Finalmente, o obvio, mas nunca é demais destacar, aprenda um idioma, não espere a chegada de uma oportunidade em que o idioma se não necessário será desejável. Antecipe-se!

Resumindo, empregabilidade consiste na capacidade do profissional adaptar-se às novas demandas do mercado, informar-se sobre as tendências e, ter em mente que não se trata apenas de experiência e qualificação, mas de um conjunto de qualidades pessoais e atitudes que desenvolvidas, fortalecerão a autoestima, amadurecerão sua consciência profissional que além de torna-lo desejado pelas empresas, o conduzirão a uma carreira de sucesso.

P. Gratz


Você vai gostar de ler também:

13 de Maio – Abolição da Escravatura: Quando Aboliremos o Preconceito?

AUGUSTE-FRANÇOIS-BIARD
Standard

No dia 13 de maio de 1888 a Lei Áurea foi assinada pela Princesa Isabel, que decretava a libertação dos escravos no país. Mas, até hoje este não é um motivo de comemoração e sim um marco para a luta contra o preconceito racial. Isso se justifica na ausência do tratamento dado aos ex-escravos logo após sua soltura. Sem teto, amparo, apoio e sem trabalho, essa negligência foi mais um grande passo em direção ao abismo do preconceito.
Ainda hoje sentimos profundamente os reflexos deste descuido comparando a proporcionalidade de negros e pardos segundo o último censo do IBGE, de 54%, com a presença destes em cargos altos, faculdades e espaços destinados a pessoas com renda elevada. Isso é reflexo da desvantagem em que a população negra teve 128 anos atrás para se estabelecer e crescer como cidadãos.
O preconceito racial é outro forte reflexo da indiligência para com este povo. As mídias sociais, reverberam essa mancha na sociedade, de tempos em tempos destacam-se casos de intolerância, como o último em que a jornalista Maju Coutinho foi hostilizada na área de comentários do público em uma publicação na página do Jornal Nacional no Facebook.
Esse caso teve grande destaque em razão da popularidade da pessoa e do local aonde ela trabalha. Entretanto, no escuro do anonimato, muitas pessoas são vítimas da injúria racial nas redes sociais. Muitos usuários acreditam ser impunes em razão da falta de contato, utilizando muitas vezes de perfis falsos.
A legislação esforça-se em acompanhar e punir esses crimes na rede mundial de computadores, entretanto sua efetividade ainda deixa a desejar. Outros esforços para a inclusão do povo negro e para a conscientização da sociedade em relação ao preconceito também são feitos pelo governo e por entidades sem fins lucrativos. Mas ainda há muito para se conquistar.
Quantos grandes talentos se perderam em razão da falta de oportunidades? Quantas pessoas maravilhosas tem uma vida indigna em razão da falta de suporte de sua família e antepassados? O simples fato de se refletir sobre isso e instigar esse pensamento em outras pessoas já ajuda um pouco na compensação desse entrave que, mesmo acontecido há pouco menos que um século e meio atrás, ainda atrasa a vida da sociedade. O dia Treze de Maio não é um dia de comemoração, e sim de reflexão. É um dia para olhar ao seu redor, pensar na sociedade, na igualdade e na real inclusão.

Reinaldo Araújo


Você vai gostar de ler também:

Licença Maternidade – Benefícios para a mãe e bebê

by freepik
Standard

Nos dias atuais, dificilmente encontramos mulheres que não trabalhem fora e que tenham necessidade da vida profissional ativa, mas quando a maternidade bate a porta e a gravidez acontece, vem as preocupações e os medos de como será.
A licença maternidade é um direito que toda profissional contribuinte do INSS tem quando engravida independente de qual tipo de serviço e qual forma é contribuinte. A mulher terá direito a essa licença e estabilidade se for registrada em carteira de trabalho, se fizer trabalho temporário, se presta serviço temporário e até mesmo trabalhe de forma autônoma, desde que seja contribuinte.
No Brasil, a licença-maternidade foi introduzido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), em 1943. Na época, a mulher tinha direito a quatro semanas antes e oito depois do parto. Com a Constituição Federal de 1988, a licença foi ratificada como direito social e passou a ter duração de 120 dias. Atualmente, órgãos públicos e algumas empresas particulares concedem seis meses de afastamento.
Neste momento destaca-se a importância para a amamentação e os inúmeros benefícios (físico e mental) para o bebê e ainda o estreitamento da relação com a mãe e filho (social).
O leite materno provê todos os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento dos recém-nascidos até os seis meses de vida, sendo necessário complementar a alimentação do bebê com outros alimentos a partir dos seis meses.
O pós parto é reconhecido por especialistas como o período de maior vulnerabilidade na vida da mulher para o aparecimento de transtornos psiquiátricos. Como a saúde da mãe é essencial para o bem-estar do bebê, é fundamental que ela tenha toda a assistência da qual necessita durante esse tempo.
É fundamental ter disponibilidade física e emocional para atender às necessidades do bebê.
O contato com a mãe estimula as conexões neurais no cérebro do bebê, que faz com que o bebê se sinta seguro, acolhido e amado, condições para que uma inteligência emocional que trará consequências positivas por toda a vida, nas distintas relações.

Flávia Avancini

“No momento em que uma criança nasce, a mãe também nasce. Ela nunca existiu antes. A mulher existia, mas a mãe, nunca. Uma mãe é algo absolutamente novo.”
Osho

 


Você vai gostar de ler também: