E agora, como elaborar um Currículo?

curriculum
Standard

A busca por uma inserção ou recolocação no mercado de trabalho começa com a elaboração de um bom currículo, mas muitas dúvidas acometem grande parte dos profissionais, abrangendo desde os que estão em início de carreira até os mais experientes.
O currículo servirá como roteiro da entrevista presencial do processo seletivo, porém antes disso inicia-se uma busca por candidatos com o perfil mais alinhado com os pré-requisitos. Vários currículos são avaliados, então, o primeiro passo é chamar a atenção do selecionador ao revelar a vivência profissional dentro da área disputada.
O currículo deve ser elaborado de acordo com a vaga pretendida, isto é, deve conter informações que a vaga exige. Jamais coloque informações falsas, esta ação trará situações constrangedoras e eliminará definitivamente as chances do candidato na empresa.
Não existe um formato de currículo ideal, mas deve-se lembrar de que ele será a porta de entrada do candidato na empresa, ou seja, poderá ajuda-lo ou eliminá-lo durante a seleção. Então, o modelo do currículo pode variar, pois existem candidatos com diferentes perfis e fases de carreira. Mas, normalmente segue uma mesma estrutura.

Dados pessoais
Inicie colocando seus dados pessoais, como nome completo, endereço residencial completo, idade e estado civil.
Informe as formas como o selecionador poderá contatá-lo (telefone fixo, celular e e-mail). Disponibilize os meios de contato, pelos quais é mais fácil encontra-lo. Deve-se evitar e-mails despretensiosos, os quais podem causar uma imagem de imaturidade. Evite e-mails com apelidos, nome de times ou menções constrangedoras.

Objetivo Profissional
Não coloque o objetivo profissional de modo genérico, preencha este campo de acordo com a vaga disputada. De preferência, coloque o nome da vaga pretendida. Tem que haver uma relação entre o objetivo e o que desempenhou na carreira até o momento.
Em vez de elaborar um único currículo, é mais estratégico criar várias versões do documento, adaptando o conteúdo de acordo com as exigências de cada contratante. Ajustar o currículo às características da vaga aumenta a relevância da sua candidatura e facilita ao recrutador avaliar se é adequado ou não para a vaga. Ambas as partes ganham tempo.

Qualificação Profissional (resumo das qualificações).
Esse campo deve conter as principais habilidades, conhecimentos, experiências e aptidões desenvolvidas pelo candidato e que o ajudarão no desempenho das funções para exercer o cargo pretendido. Também pode-se colocar termos técnicos e sistemas específicos importantes.
O resumo pode ser escrito como uma lista de tópicos ou em parágrafos simples, e não é necessário o uso de frases completas.
Pode-se iniciar destacando o tempo de experiência na área de atuação.
Pode acrescentar também as principais atividades, os projetos realizados e os resultados que foram gerados, os quais indicarão o que você conseguiu alcançar com aquele determinado projeto ou atividade.

Formação Acadêmica
Colocar em ordem decrescente sua vida acadêmica. Não é necessário mencionar a conclusão do Ensino Médio, a não ser que estejam cursando ou tenha somente esta etapa concluída.

Experiência Profissional
Coloca-se as experiências em ordem decrescente, iniciando pelo último ou atual emprego.
Informações como cargo, data de entrada e saída e principais atividades executadas devem ser colocadas valorizando os dados profissionais.
A experiência profissional é um fator importante para que o recrutador conheça mais as aptidões do candidato. Se já tiver informações sobre a vaga, aproveite para dar destaque para a experiência e habilidade que combinam com o cargo.

Cursos complementares e idiomas
Torna-se um diferencial aquele que se atualiza frente as necessidades do mercado. Para não ficar muito extenso, selecione os cursos que serão atrativos para a empresa. Cursos recentes e de relevância.

Outras Informações
Escreva aqui informações interessantes a seu respeito, tais como intercâmbios culturais que você possa ter feito e atividades de voluntariado.

Algumas dicas importantes que devem ser comentadas
– Os currículos precisam se tornar menos genéricos e mais precisos para chamar atenção. O recomendado é que não ultrapasse duas páginas, para não ficar extenso e com informações desnecessárias.
– Deixe em Negrito apenas títulos, isso facilitará ao selecionador encontrar o que deseja.
– Fique atento para não cometer erros gramaticais, de digitação, de concordância ou de informação, que podem causar má impressão.

Não se esqueça de manter sempre o seu currículo atualizado.

Letícia Carvalho


Você vai gostar de ler também:

A Importância do Reconhecimento dos Colaboradores

BANNER
Standard

Um produto ou serviço que busca o crescimento de sua marca, além do investimento na qualidade do que oferece também aposta na valorização de seus clientes. É comum observar a quantidade de programas de pontuação, descontos e premiações oferecidos pelas organizações, que geralmente são atrelados ao tempo de permanência do cliente, frequência de uso e grau de investimento. Todos estes esforços para fidelizar o cliente. Da mesma forma, os empregadores aplicam ações semelhantes para “fidelizar” seus melhores colaboradores, que aqui no RH preferimos chamar de retenção de talentos.
É fato já bem conhecido que o investimento em benefícios é uma das práticas mais eficientes na retenção de talentos. Mas, da mesma forma que benefícios oferecidos antigamente como atrativos, hoje, regulamentados como obrigatórios ou não, se tornaram comuns e podem ser um fator decisivo para a atração ou permanência de talentos da sua equipe. Dessa forma é preciso, mais uma vez, ir além e adicionar benefícios que sejam baseados na performance do candidato. A Participação nos Lucros e Resultados (PLR) é um exemplo disso mas, o que foi explicado acima, também está acontecendo com ela.
Dessa maneira, uma prática já antiga mas, pouco explorada ganha destaque. A premiação de colaboradores com base em seu desempenho. São ações flexíveis que se adequam a necessidade e fisiologia de cada empresa, com regras determinadas pela gestão, têm o intuito de promover um ambiente de competição saudável entre os colegas mas, acima de tudo, reconhecer e homenagear os colaboradores que merecem.
Aqui na Proativa RH começamos em 2015 a nomear o Colaborador do Ano eleito por um sistema de pontuação concedido pelos coordenadores em forma de notas, de zero a dez, para cada uma das características consideradas primordiais para um colaborador de destaque. Este ano, mudamos algumas regras. O colaborador destaque é eleito semestralmente, foi feita uma eleição geral entre todos os componentes da empresa, passando para a avaliação dos coordenadores apenas os quatro mais votados. Hoje, dia 24/06, anunciaremos quem será o Colaborador do Semestre.

No ano passado o ganhador do concurso foi o Paulo, suporte na área de Tecnologia da Informação. Chamado informalmente de Paulinho pelos colegas, é uma pessoa estimada por todos dentro da empresa. Não só por suas atividades, que muitas vezes exigem que ele circule dentro da empresa atendendo aos chamados de dúvidas, consertos ou manutenção, seu contato com todos transpareceu suas qualidades pessoais e profissionais que o levaram a ser o primeiro Colaborador de Destaque da Proativa RH.
Ás vésperas do anúncio do destaque do primeiro semestre de 2016, conversamos com o Paulo, relembrando um pouco do momento de sua premiação e sobre a sua carreira e planos para o futuro.

PAULO-1

Há quanto tempo você está na Proativa?
Vou fazer cinco anos em setembro, entrei em 2011. Minha entrevista foi com a Jennifer, passei três fases para ser aprovado.

Foi a primeira empresa que você entrou na área de TI?
Antes de entrar aqui fiz estágio na Tivit, na região da Sé. Lá eu prestava atendimento para o pessoal do call center, atendendo aos chamados e fazendo manutenção nas máquinas.

O que te inspirou a entrar no T.I.?
Foi a curiosidade. Eu trabalhava na área de estoque de uma empresa, lá tinha um computador para uso interno. Como eu não tinha um em casa, sempre que podia usava o da empresa e para descobrir coisas novas por conta própria. Mas, visando meu crescimento dentro do estoque decidi me matricular no curso de Logística. Porém, houve um problema na minha documentação e quando consegui resolver, não havia mais vaga para esse curso. Então, entre os cursos disponíveis vi o de Análise de Sistemas e escolhi ele. Foi difícil no começo, mas fui me adequando, me esforçando e gostando cada vez mais da minha escolha. Depois, por meio de colegas tive acesso á grade curricular de Logística e não gostei das matérias apresentadas. Isso só aumentou a minha certeza do curso que escolhi.

Muitos de nós temos dúvidas sobre qual área ingressar nos estudos. Quando você começou a estudar nessa área, você entrou com toda a certeza de que seria algo para toda a vida?
Na verdade eu não tinha pensado sobre isso antes de entrar para a faculdade. Terminei o Ensino Médio e passei cinco anos sem estudar, ás vezes minha mãe dizia para eu ir estudar. Mas, só tive a ideia de me matricular em Logística quando estava na empresa, junto com meus colegas. Aí aconteceu toda aquela história que te contei.

O que te agrada mais na área de T.I.?
Gosto de resolver os problemas, quebrar um pouco a cabeça e chegar na solução. Também gosto da interação com as pessoas. Nós do Suporte, muitas vezes podemos dar assistência à distância para o usuário pelo telefone ou pelo acesso remoto, por exemplo. Mas, eu prefiro ir até a pessoa, conversar com ela, ver o que está acontecendo na máquina. Porque muitas vezes o usuário não sabe descrever exatamente o que aconteceu, e a gente que já tem o olho bem treinado para isso já consegue saber qual é o problema com mais facilidade.

Muita gente que escolhe trabalhar com tecnologia tem um perfil mais introspectivo. Você acha que preferir esse contato pessoal dentro de uma área tecnológica te ajudou a melhorar a sua interação com as pessoas?
Certa vez fiz um teste de personalidade e perfil profissional, e sempre me apontava essa área justamente por que sou uma pessoa mais fechada. Eu gosto de lidar com as pessoas, mesmo sabendo que posso deparar com uma pessoa chata. Eu sou mais tímido, mas fazendo o meu trabalho eu não sou. Ainda mais quando você vai adquirindo mais experiência. Cinco anos atrás, quando eu entrei na Proativa, eu tinha vergonha de atravessar a sala para pegar um café. Quando o pessoal fazia café comunitário eu não ia buscar. A minha colega, a Soninha, que já me conhecia bem, era quem levava na minha mesa para mim. Hoje, não mais. Depois de andar bastante pela empresa dando suporte para as pessoas e fazendo manutenção das máquinas, não tem como ser como eu era quando cheguei.

Quais são seus planos profissionais para o futuro?
Eu tenho planos mas, não estipulei um tempo para isso se cumprir. Tenho bastante interesse em aprender programação. Antes era mais em programação de sistemas, mas com o passar do tempo me interessei mais por programação de jogos. Já tentei estudar em casa por conta própria, até fiz alguns tutoriais e exercícios mas, acho que eu precisaria me matricular em um curso para ter um foco maior. Em casa, a gente não consegue ter isso.

Quando o Colaborador do Ano de 2015 foi anunciado, ficou nítida a sua expressão de surpresa. O que você pensou naquele momento?
Eu imaginava que seria outra pessoa, como a Jennifer, ela merece muito. Nos momentos antes de anunciar, quando faziam suspense e os colegas diziam seus palpites, a Karine olhou pra mim. Mas, eu não imaginava que seria eu. Pensei “será que mereço isso mesmo?”, fiquei muito surpreso mesmo, tanto que não soube o que dizer na hora em que todos pediram para eu falar algo. Agora que essa premiação tem duas fases, os quatro finalistas tem a oportunidade de pensar em algo para dizer no “discurso da vitória”.

PAULO-2

Você acredita que algum diferencial seu se destacou como grande motivo para receber esse título? Qual?
Sim. Eu acho que a minha atenção. Na placa que recebi dizia “atenção e comprometimento”. A capacidade de chegar e fazer seu trabalho com foco e cuidado para não deixar passar erros.

Ganhar esse prêmio te deixou mais seguro e confiante?
Acredito que sim. Receber esse prêmio, para mim foi uma afirmação de que estou fazendo meu trabalho direito. Dá aquela sensação de que agora tenho que ser exemplo, né?

Você acha interessante a Proativa continuar com esse tipo de premiação?
Sim, acho. É um incentivo para que as pessoas possam fazer seu trabalho melhor. E é importante a empresa reconhecer as pessoas que fazem o trabalho aqui com o mesmo cuidado que fazem algo para elas mesmas. O melhor possível.

Colaborador de destaque é aquele que…
É aquele que faz o melhor. Que dá o melhor de si.

Reinaldo Araújo


Você vai gostar de ler também:

O Político Profissional

Cropped image of business partners carrying briefcases on the foreground while their colleague standing on the background
Standard

O político profissional abandona sua profissão (médicos, economistas, advogados, engenheiros, para não falar dos ex- comediantes e ex-jogadores de futebol) para ocupar cargos eletivos. Tudo bem! Podem contribuir para o desenvolvimento do pais, por um ou dois mandatos no máximo, mas eles não querem “largar o osso, alias não se trata de osso, é um bom pedaço de filet mignon”, todavia prolongam sua vida pública indefinidamente.
A maioria dos políticos é profissional e, constituem um dos maiores problemas do nosso governo, porque essa é uma das maiores fontes da endêmica “corrupção”, sobretudo entre os políticos, as empresas e o sistema financeiro; os três atuam de forma criminosa, visando exclusivamente desviar verbas públicas em beneficio próprio e, em detrimento do povo que recolhe impostos e é muito mal atendido nos serviços básicos de responsabilidade do governo.
O Brasil não necessita apenas dos movimentos horizontais, ou seja, o povo nas ruas exigindo ética na política, melhores serviços públicos etc., mas também dos movimentos verticais, visando acabar para sempre, com os privilégios e as mordomias do mundo político, o que viola absurdamente os direitos de igualdade.
O aprimoramento das nossas instituições passa pela proibição das seguidas reeleições. É hora de lutar por profundas mudanças no sistema político. Temos que promover uma lei de iniciativa popular para limitar a carreira dos políticos profissionais; precisamos de renovação, oportunidade para novos líderes, ideias novas.
Luiz Flávio Gomes, grande jurista brasileiro, entende que devemos promover uma profunda Reforma Política no país para impedir que o político faça da política sua eterna profissão. Desejamos que o político seja um bom e honrado servidor público, mas que não se perpetue nos cargos eletivos, criando raízes com o nepotismo, fisiologismo, clientelismo e a corrupção.

Luiz Flavio Gomes, luta dentre outras, por três mudanças:
(1ª) nenhum político pode abandonar a sua profissão particular; é necessário que compatibilize com suas obrigações públicas;
(2ª) nenhum político pode ser reeleito para o mesmo cargo executivo (salvo depois de uma longa quarentena).
(3ª) nenhum político pode exercer mais que dois mandatos consecutivos nos cargos legislativos (só podendo voltar depois de uma longa quarentena).
www.fimdopoliticoprofissional.com.br
Luiz Flavio Gomes: Doutor em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri (2001), Mestre em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (1989). Professor de Direito Penal e Processo Penal em vários cursos de pós-graduação.

Paula Gratz


Você vai gostar de ler também:

Passei no processo seletivo? A Importância do feedback para o candidato.

Image of young businessman with cup of coffee communicating with his colleague
Standard

Participar de um processo seletivo mexe com as nossas emoções. Nos vemos diante um misto de esperança, inquietação, alegria, segurança daqui e insegurança dali, dentre tantas outras coisas que se passam a partir do primeiro contato que a empresa faz com o candidato. Mas, diante de todos estes sentimentos, aquele que mais se destaca é o de expectativa. Alimentado desde o início, ele ganha força com a frase dita ao final da entrevista: “vou entrar em contato nos próximos dias para dar uma resposta”. Ainda mais com a baixa oferta de empregos em que vivemos atualmente e todas as outras preocupações geradas pela retração da economia, essa espera se torna mais difícil.
A falta de informação sobre como está correndo o processo seletivo são uma das reclamações mais recorrentes entre os candidatos. E para que não haja essa lacuna, é necessário uma organização precisa do fluxo de informações entre a área de RH e o requisitante da vaga. Para isso, precisamos observar o processo como um todo e suas particularidades. De forma resumida, o processo seletivo acontece da seguinte forma:
– O primeiro passo se dá na obtenção de informações sobre o cargo, através do levantamento do perfil junto ao requisitante,
– O segundo passo consiste na obtenção de informações sobre os candidatos, pela aplicação das técnicas de seleção, tais como: entrevista por competência, aplicação de provas de conhecimento, testes psicométricos, dinâmicas de grupo, entre outras.
– O terceiro passo é fornecer feedback aos candidatos que não foram selecionados, independentemente da fase em que a desaprovação tenha acontecido.
A não continuidade em um processo pode ocorrer por vários motivos: congelamento ou cancelamento da vaga, incompatibilidade do perfil, remanejamento interno, entre outros. Caso o processo demore para ter uma posição concreta por parte do requisitante, é importante posicionar o candidato que permanece no processo e posteriormente, retornar com informações referentes as próximas etapas.
Claro que é sempre mais simpático e justo dar ao candidato esse retorno através de uma ligação, com argumentação coerente para a não aprovação. Entretanto, nem sempre isso é possível. Nos processos onde o volume de vaga é alto, opta-se pela retorno via e-mail. De qualquer forma, no fechamento da vaga, os finalistas devem sempre receber esse retorno, como em ato de reconhecimento e agradecimento pelo interesse e disponibilidade de tempo que tiveram ao participar do processo. Agir com empatia, respeito e comprometimento durante as fases do processo determinará se futuramente o candidato desejará participar novamente de algum processo na mesma empresa.
As empresas que adotam a cultura de realizar um papel social e valorizar as pessoas tendem a fortalecer a sua reputação e idoneidade, ao mesmo tempo que colaboram com o futuro de inúmeros profissionais. Quando identificado que o candidato não possui o hábito de participar de processos, uma orientação no sentido de como realizar sua apresentação pessoal e profissional será de extrema importância para o seu ingresso e recolocação no mercado de trabalho.
Um feedback negativo de forma construtiva possibilita ao candidato aumentar seus conhecimentos, aprimorar suas técnicas, aperfeiçoar suas capacidades, se qualificar ao investir em novos cursos, adquirir maturidade ao reconhecer alguns pontos que pode melhorar, pois são eles que geram aprendizado e possibilidade de crescimento.
Respeitar o outro e colocar-se no seu lugar deve estar acima de tudo em qualquer processo seletivo. Sem dúvida, retorno negativo deve fazer parte disso!

Letícia Carvalho


Você vai gostar de ler também:

Semana Mundial do Meio Ambiente

3D render of a grassy globe with a tree and clouds
Standard

A Semana Mundial do Meio Ambiente é comemorada entre os dias 30 de maio e 05 de junho.
Essa data foi instituída em 1972, na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, que ocorrem em Estocolmo, Suécia. No Brasil, esse período foi estabelecido somente em 1981, através do decreto nº 86.028 e tem como finalidade o apoio à participação da comunidade brasileira na preservação do patrimônio natural de nosso país.
A semana mundial do meio ambiente busca chamar atenção em relação à ação política dos povos e dos países para para a conscientização e melhoria da preservação ambiental. A ONU (Organização das Nações Unidas) busca, nesse período, estabelecer e personalizar questões ambientais, possibilitando a cada indivíduo a percepção de sua responsabilidade e sobre se tornar um agente de mudança, apoiando formas de desenvolvimento justas e sustentáveis.
O Dia Mundial do Meio Ambiente comemora-se em 05/06 e também denomina-se WED.
O WED é também um dia para promover um mundo mais limpo e verde para si e para as gerações futuras.
Seguem os principais temas abordados pelos cientistas ambientais:
 · Redução da poluição e limpeza;
 · Redução do consumo de combustíveis não-renováveis pela sociedade;
 · Desenvolvimento de fontes alternativas de energias, que são renováveis ou não poluem.
 · Proteção de ecossistemas.
 · Preservação de espécies em perigo de extinção.
 · Estabelecimento de reservas naturais para proteção da biodiversidade e de ecossistemas dos quais a vida em nosso planeta depende.
 · Conscientização para um consumo sustentável.
 · Tratamento adequado de resíduos, por meio de reciclagem ou reaproveitamento.
Estes temas e tantos outros, que visam o respeito ao meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da sociedade, mostram que temos ferramentas possíveis para contribuir para um mundo mais sustentável, seja dentro ou fora do universo empresarial, basta querer e engajar-se incialmente no compromisso individual.
Conheça as 50 ações pelo planeta:
http://www.sustentabilidades.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=42&Itemid=83

“O Planeta Terra é a ilha compartilhada por todos nós. Devemos nos unir para protegê-la.”
Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon

Flávia Avancini


Você vai gostar de ler também: