Eu amo a Psicologia

psicologo-
Standard

IAMONa década de sessenta, meu querido pai (que Deus o tenha!) desejou para mim a carreira de médica, independente da especialidade, desde sempre quis que sua filha única fosse “médica” – Doutora Paula Gratz!
No início, lá pelos meus 12 anos, eu pensei: legal! Acho que eu vou gostar de cuidar das pessoas. O tempo passou e levou para bem distante o sonho do meu pai e junto a menor possibilidade de cursar medicina
Foi quase por acaso o despertar de meu interesse por psicologia, que permanece intenso até os dias de hoje. Olha só! Eu estava lendo uma revista de atualidades da época e uma matéria chamou-me a atenção, falava sobre um cara chamado: Sigmund Freud, o encantamento foi de imediato e tão grande que na mesma semana pedi para minha vó (minha cumplice) comprar um livro: EU E O ID de S. FREUD (1923-1925).
O final da história é bem fácil de adivinhar, cursei psicologia com total convicção e meu pai lamentou-se por um período, apregoando minha preferencia por tratamento de loucos.
Pois é! A verdade é que o dia 27 de Agosto de 1962 representa o fim do movimento de profissionais de várias áreas como Educação, Engenharia, Medicina, Filosofia, entre outros, que vinham exercendo a profissão de psicólogo ou ensinando psicologia nos cursos de Filosofia e Pedagogia.
Por um longo período, nos psicólogos enfrentamos reações da classe médica que eram contra a prática psicoterapia por profissionais sem a formação médica.
Esta data também marca o início do período profissional da Psicologia, pois, mesmo com o surgimento do primeiro curso de graduação na área, na década de 1950, é a partir do dia 27 de Agosto de 1962, que começa o ensino formal e reconhecido por lei.
Por tudo isso, todo dia 27 de Agosto é celebrado no Brasil o dia do Psicólogo; comemoramos uma história de perdas e vitórias, alcançadas por profissionais que batalharam para as conquistas atuais cabendo aos psicólogos de hoje, então, construir a história que deverá ser comemorada no futuro.

P. Gratz

Juramento do Psicólogo:
“como psicólogo, eu me comprometo a colocar minha profissão a serviço da sociedade brasileira, pautando meu trabalho nos princípios da qualidade técnica e do rigor ético. Por meio do meu exercício profissional, contribuirei para o desenvolvimento da psicologia como ciência e profissão na direção das demandas da sociedade, promovendo saúde e qualidade de vida de cada sujeito e de todos os cidadãos e instituições.”


Você vai gostar de ler também:

Qualidade no trabalho é qualidade de vida!

OAIICU0
Standard

Não é fácil passar oito horas por dia, cinco ou até seis dias por semana dentro do trabalho. Com o advento da tecnologia, trabalhamos mesmo depois de sair das organizações, executando tarefas, lendo mensagens e enviando e-mails pelo smartphone ou pelo notebook. Atualmente em meio à crise de desemprego que vivemos, é comum encontrarmos pessoas que abrem mão de sua qualidade de vida para dedicar-se ao trabalho, com medo de perde-lo, enfrentam muitas vezes, longas jornadas de trabalho, às vezes sentindo, sono, estresse e cansaço, deixando em segundo plano a própria vida pessoal, família, amigos enfim deixando de se preocupar com a qualidade de vida.
Para manter-se em uma posição confortável no mercado as empresas dependem do comprometimento de seus colaboradores, por esse motivo torna-se essencial proporcionar uma melhora na qualidade de vida dentro do ambiente organizacional.
As organizações empenham-se cada vez mais em oferecer um tratamento melhor para seus colaboradores, devido a vários fatores incluindo a concorrência, pois para alcançar resultados satisfatórios dependem deles. Mesmo trabalhando em equipe, o colaborador tem objetivos individuais, necessitando que se proporcione condições uma vida profissional saudável.
Para que haja um consistente programa de qualidade de vida no trabalho, é necessário que prevaleça a conscientização, de nada adianta a empresa oferecer todas as ferramentas para que isso aconteça se os colaboradores não tiverem conhecimento do quão importante isso é para sua saúde e resultados na empresa.
Sem dúvida o trabalho é algo fundamental na vida das pessoas, além dessa função significativa de subsistência o trabalho é algo que dignifica o indivíduo, muitas pessoas sentem orgulho da atividade que exercem, buscam qualificação, aperfeiçoamento e almejam um crescimento na vida profissional, trabalhar em uma organização que propicie algumas dessas melhorias sem dúvida é algo muito almejado.
Mesmo com tanto avanço tecnológico, muitas empresas ainda estão cercadas de regras antigas, utilizando de sistemas primitivos, impossibilitando muitas vezes uma maior participação dos colaboradores, isso impacta diretamente na qualidade de vida e mais ainda nos baixos desempenhos dos colaboradores, causando insatisfação e desmotivação.
Oferecer uma melhora na qualidade de vida dos profissionais faz com que os mesmos tenham mais saúde, reduzindo assim problemas com absenteísmo, sendo importantíssimo para redução de custos para a empresa.
A qualidade de vida está estritamente relacionada com a qualidade de vida no trabalho. O trabalho é o norteador para todas as outras atividades da vida do colaborador, dessa forma uma melhora na qualidade de vida dentro das organizações é fundamental nos dias de hoje em meio a tanta concorrência no mercado em geral, trará aos colaboradores satisfação e maior engajamento, resultando assim em maiores lucros e melhores desempenhos.

Fabiana Furniel


Você vai gostar de ler também:

Novos Pais… Novos Desafios!

FREEPIK CUT
Standard

Os homens, por questão histórica e cultural, mantiveram por séculos o papel exclusivo de provedor da família e de pouco envolvimento e afetividade, onde tais responsabilidades além dos cuidados pessoais se restringiam as mães.
Com as mudanças socioculturais, a mulher saiu do âmbito das obrigações da casa, e assim como o homem passou a contribuir cada vez mais com todas as responsabilidades da família.
Vemos um número cada vez maior de pais querendo e assumindo mais que prover materialmente a família, como a sociedade há tempos definiu.
Este novo pai está cada vez mais inserido em toda a “logística” da família.
O pai que realmente participa da família, sabe construir e manter um convívio saudável, independente de criar um filho sozinho ou não, independente da composição das novas famílias.
Neste novo papel competências são inatas, outras terão que ser aprendidas, mas é bom ressaltar que pais e filhos aprendem e crescem juntos a cada experiência nas oportunidades distintas que compartilham.
Educar com carinho, cumplicidade, responsabilidade, respeito, presença e principalmente impor limites são pontos essenciais para manter o desenvolvimento harmonioso com os filhos.
Quando o pai ou a mãe se permitem viver equilibradamente as demais coisas da vida, além da realização pessoal, ensina e orienta ao filho a dimensão real de cada coisa na vida.
A criança que aprende desde cedo reconhece que tudo tem importância e que ele também tem o seu lugar e a sua devida importância na vida do pais.
Além de amor, disposição, responsabilidade e discernimento, sensibilidade para saber ouvir e conversar incessantemente sobre todas as coisas com o filho em todas as fases, é preciso incentivar, orientar e participar ativamente para a segurança concebendo o espaço ao filho para também viver suas próprias experiências.
Pensar sempre na medida certa para cada coisa, evitando os excessos.
Busque ajuda profissional em momentos de muita dificuldade consigo mesmo, com o filho ou com alguma tarefa.
Permita-se receber o apoio de pessoas preparadas e responsáveis,
A paternidade entrega nas suas mãos a responsabilidade de educar o seu filho, sem delegações nesta missão de prepará-lo integralmente para a vida.
No próximo domingo celebre com seus filhos os desafios e conquistas desta jornada que tem no AMOR a conexão primordial.
Feliz dia dos Pais a todos em especial ao PAIS da Proativa RH!!!

Flávia Avancini


Você vai gostar de ler também:

O Atleta Profissional

IMAGEM
Standard

Hoje, no Rio de Janeiro, acontece a cerimônia de abertura dos jogos da XXXI Olimpíada. Alguns jogos já começaram há dois dias. O evento recebe um número estimado de 12.500 atletas que competirão até o dia 21 de agosto e, aqueles que participarão dos Jogos Paralímpicos, entre os dias 7 e 18 de setembro.
Em seu início, a competição aceitava apenas atletas amadores. Barão de Coubertin, o responsável por trazer de volta o antigo costume grego Olimpíadas, afirmava que o espírito do evento devia ser movido pelo ato de participar e não pela premiação e pelo dinheiro. O idealizador das olimpíadas da era moderna difundiu a expressão usada até hoje: “O importante não é vencer, mas competir.”
Hoje os Jogos Olímpicos recebem normalmente os atletas que dedicam todo o seu tempo para o esporte e tiram seu sustento disso. Grande maioria dos esportistas recebem patrocínio privado ou incentivos do governo, podendo ter um contrato de vínculo trabalhista com algum clube, tal como um contrato de trabalho comum, salvo algumas particularidades relacionadas ao setor desportivo.
Tal como no nosso mundo do trabalho não esportivo, quanto melhor a performance do profissional, maior o destaque, o sucesso e a recompensa. Assim como existem aqueles funcionários que tentam galgar mais degraus de forma incorreta, usando de métodos desonestos; No esporte existe o doping, onde os atletas usam de substâncias que melhoram sua performance consideradas ilegais pelo Comitê Olímpico. Muitos destes são pegos no exame antidoping e são banidos da competição. Como aconteceu com quase toda a equipe de atletismo da Rússia.
Os atletas olímpicos, além de profissionais, são considerados heróis, exemplos de superação, sinônimos da conquista de objetivos e representantes do nosso país. Gustavo Borges, Daiane dos Santos, Neymar, Maurren Maggi, César Cielo, Marta, Bernardinho, Maria Lenk, Robert Scheidt, Torben Grael, Daniele Hypólito, Arthur Zanetti… são nomes que levam a imagem e a identidade do nosso país para o resto do mundo, juntamente com tantos outros nomes de profissionais espetaculares, são pessoas que inspiram, nos fazem vibrar e torcer. Que com sua garra deixam a nossa marca brasileira em cada competição que participaram. Vamos prestigiá-los com o nosso sentimento, com a nossa torcida e a nossa energia, mesmo longe das arquibancadas, essa é a força que os motiva a vencer.

Reinaldo Araujo


Você vai gostar de ler também: