Como se Apresentar nas Entrevistas de Emprego

entrevistas-blog
Standard

Independente do cargo pleiteado, a imagem que o candidato transmite ao recrutador é de extrema importância, pois a primeira impressão é sempre a que fica.
A forma como o candidato se apresenta é importante juntamente com o seu histórico profissional e um currículo bem elaborado.
A entrevista é a oportunidade que o candidato tem para se vender à vaga, ocasião na qual deve chamar atenção pelo conteúdo apresentado.

Os pontos destacados abaixo contribuirão para que o candidato obtenha um bom desempenho na entrevista:

  • Ser pontual, checar com antecedência o endereço da empresa para ter noção do tempo gasto no trajeto, evitará atrasos caso ocorra algum imprevisto. O ideal é chegar com alguns minutos de antecedência.
  • Pesquisar sobre o segmento da empresa, conhecer sua história e cultura por meio do site da mesma, demonstra interesse, fora o fato de ser importante pesquisar sobre a organização na qual se almeja atuar.
  • Levar um currículo atualizado, revisa-lo quantas vezes for necessário, e ver se ele está aderente ao perfil da vaga. Não omitir informações ou mentir, nunca mencionar que executou uma determinada atividade se não chegou a desempenhá-la. Veja se as datas referentes ao período de permanência em cada empresa estão corretas, pois durante a entrevista o selecionador identificará rapidamente se essas informações são verdadeiras.
  • O celular deve estar desligado para a entrevista não ser interrompida.
  • Utilizar um tom de voz adequado. Falar muito baixo, denota falta de energia.
  • Por uma questão de ética, falar mal das empresas anteriores, chefia, clientes e colegas causará uma impressão negativa.
  • Não falar gírias como por exemplo, “trampo”, “busão”, “mano”, entre outras.
  • Para otimização do tempo, ser sucinto, responder somente ao que lhe for perguntado. As perguntas que levarem a respostas abertas, reflita antes de responde-las, destaque suas principais competências, habilidades técnicas e pessoais. Cite exemplos de atividades que já desempenhou que estejam relacionada às experiências solicitadas pelo empregador, ou seja, conhecimentos e habilidades necessárias para ocupar a vaga, quais resultados foram obtidos e deixar claro o motivo dos desligamentos, sendo eles coerentes. Saber quais são seus pontos fortes requer autoconhecimento. É importante realizar essa reflexão antes da entrevista, pois não é bom deixar lacunas ou respostas incompletas por meio das quais possa gerar dúvidas no selecionador.
  • A vestimenta é importante. Use roupas discretas, formal ou casual, esteja bem apresentável. Seja sensato na hora que for escolher o modelo mais apropriado. Asseio e cuidado pessoal também são observados. Então, nada de bonés, bermudas, decotes, acessórios e maquiagens excessivas.

No final da entrevista, esclareça suas dúvidas referentes as etapas do processo e da vaga. Saiba expressar a sua expectativa e motivação.
Agradeça a oportunidade concedida. Caso o prazo estipulado para obter o retorno expirar, encaminhe um e-mail desejando saber informações sobre o andamento do processo.

Aproveite essas sugestões da melhor maneira possível. Boa sorte!

 

Letícia Carvalho

Terceira Idade

terceira-idade-blog
Standard

No dia 26/07 comemoramos no Brasil o Dia dos Avós! Essa data foi escolhida em razão da comemoração do dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo. O objetivo deste dia é homenagear e agradecer toda a consideração e carinho que os avós dão aos seus netos.

Esse dia nos remete a um assunto delicado e complexo para muitos: a terceira idade. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), é a fase da vida que começa aos 60 anos nos países em desenvolvimento e aos 65 anos nos países desenvolvidos. A terceira idade caracteriza-se por mudanças físicas em todo o organismo do indivíduo, alterando suas funções e trazendo mudanças nos seus comportamentos, percepções, sentimentos, pensamentos e ações.

O envelhecimento ocorre em diferentes dimensões (biológica, social, psicológica, econômica, jurídica) e depende de diversos fatores ocorridos nas fases anteriores da vida, como as experiências vividas na família, na escola ou em outras instituições. Assim, a terceira idade ou velhice não comporta um único conceito, uma vez que a idade cronológica pode não ser idêntica à idade biológica e social do indivíduo.  A época em que uma pessoa é considerada na “terceira idade” pode variar. Mas o que queremos dizer é que é possível, e muito, aproveitar essa etapa de vida.

Aproveitar a Terceira Idade é saber o valor de cada momento que se vive. Entender que tudo tem uma hora, e cada hora tem seu brilho e valor. Envelhecer é redescobrir uma vida nova a cada dia e saber envelhecer com dignidade é uma dádiva, que exige sabedoria!

 

 

Luciana Martino

CARREIRAS INTERROMPIDAS

carreiras-interrompidas-blog
Standard

As pessoas passam boa parte da sua vida trabalhando, dedicando 8 horas ou mais do seu dia para uma atividade profissional que lhe proporcione o sustento. Muitas vezes acabam não tendo tempo para aproveitar o que a vida oferece, como a família ou os amigos, justamente pela grande quantidade de horas trabalhadas. E no final das contas, grande parte dos trabalhadores aguardam ansiosamente pela sua aposentadoria para, enfim, aproveitar o que resta da vida.

Estamos falando de profissionais que chegam ao final da sua carreira, com anos ininterruptos de trabalho, dedicação e esforço. Mas existem os grupos que optam por interromper suas carreiras por motivos diversos, algumas vezes por opção própria, outras por necessidade. Os principais motivos são:

Nascimento dos filhos: na grande maioria das vezes, são ainda as mulheres que optam por interromper suas carreiras temporária ou definitivamente para cuidar dos seus filhos. Trata-se de uma opção muito pessoal, mas que traz gratificação e prazer;

Cuidar dos pais ou avós: no outro extremo da linha da vida, estão nossos pais e avós, que passam por situações de saúde que muitas vezes requer cuidado e atenção especial. Fazer a opção de parar de trabalhar para assisti-los exige abnegação e um grande reconhecimento por tudo que fizeram por seus filhos/netos;

Dedicação aos estudos: alguns profissionais optam por parar algum tempo para dedicar-se à uma formação acadêmica mais completa e complexa, visando um upgrade em suas carreiras. Essa decisão de grande valia para algumas profissões exige planejamento financeiro e clareza dos objetivos;

Intercâmbio para aprimoramento de idiomas: também tem como objetivo principal o desenvolvimento e valorização da carreira. A vivência no exterior, o conhecimento de outras culturas e a fluência em idiomas trazem um diferencial de carreira bastante interessante. Da mesma forma, é preciso organizar-se financeiramente para isso;

Vivenciar um ano sabático: cada vez mais ouvimos falar de profissionais que optaram por interromper suas carreiras para “mergulhar” em si mesmos. Ano sabático é conhecido como o período de 12 meses em que a pessoa se dedica a algum projeto de vida particular, retirando para isso uma licença de suas funções profissionais. Num mundo em que as pessoas definem o valor pessoal das outras pela escolha profissional é preciso ser muito desconectado das opiniões alheias para encarar sem culpas uma licença física e mental dedicada a você mesmo;

Cuidar da saúde: às vezes a vida decide que você deve dar uma parada e cuidar de você mesmo. Normalmente são momentos difíceis, mas que quando superados trazem um grande fortalecimento e uma vontade imensa de retomar de onde paramos e seguir em frente com determinação.

Qualquer que seja o motivo, bom ou ruim, o importante é termos ciência de que nada na vida é definitivo, sempre há tempo para retomarmos. Decisões pessoais dizem respeito apenas a nós mesmos, e devem ser respeitadas! Faça da sua carreira o que você imagina que seja o melhor, interrompa quando o rumo precisar de um desvio ou de ser corrigido. Não espere sua aposentadoria para aproveitar a vida, o tempo para isso é aqui e agora!

 

Luciana Martino

Revolução de 1932-M.M.D.C

rev-1932-blog
Standard

Em 09 de julho comemora-se a deflagração da Revolução Constitucionalista de 1932, considerada a data magna do Estado de São Paulo através da Lei Federal n. 9.093, sancionada pelo Presidente Fernando Henrique Cardoso (12-09-1995).

Os motivos que iniciaram o movimento datam de dois anos antes, quando a Revolução de 1930 depôs o presidente Washington Luís e impediu a posse do paulista Júlio Prestes. A entrada do gaúcho Getúlio Vargas à presidência, pôs um fim na chamada política do café com leite e desagradou as elites paulistas, representadas pelo Partido Republicano Paulista, o PRP, que viram não só o poder sobre a política brasileira ser perdido, como presenciaram também o então estado mais rico da federação ser submetido a um situação de submissão.

Uma das primeiras medidas do governo federal ao assumir foi dissolver congresso e os poderes estaduais. Enquanto outros estados ganharam interventores nascidos neles, São Paulo teve que se contentar com militares de outros locais, já que o Partido Democrata, que era a favor da revolução de 30, não conseguiu indicar ninguém para o cargo. Além disso, viram o major Miguel Costa, expulso da Polícia Militar por tentar derrubar o governo em 1924, assumir o comando da corporação.

As pressões sobre Getúlio Vargas começaram. As forças políticas e econômicas de São Paulo exigiam uma nova Assembleia Constituinte, novas eleições e o fim do governo provisório.

Em 1932 a capital era um barril de pólvora.

No estado de São Paulo era grande a insatisfação com o governo provisório de Vargas. Os paulistas esperavam a convocação de eleições, mas dois anos se passaram e o governo provisório se mantinha. Os fazendeiros paulistas, que tinham perdido o poder após a revolução de 1930, eram os mais insatisfeitos e encabeçaram uma forte oposição ao governo Vargas. Houve também grande participação de estudantes universitários, comerciários e profissionais liberais.

Os paulistas exigiam do governo provisório a elaboração de uma nova Constituição e a convocação de eleições para presidentes. Exigiam também, de imediato, a saída do interventor pernambucano João Alberto e a nomeação de um interventor paulista.

Os paulistas também criticavam muito a forma autoritária com que Vargas vinha conduzindo a política do país. Queriam mais democracia e maior participação na vida política do Brasil.

Com Vargas não atendeu as reivindicações dos paulistas, em maio de 1932 começaram uma série de manifestações de rua contrárias ao governo Vargas.

O estopim da Revolução Constitucionalista foi a morte dos estudantes Mário Martins de Almeida, Euclides Miragaia, Dráusio Marcondes de Sousa e Antônio Camargo de Andrade, durante a tentativa de invasão da sede de um jornal favorável ao regime varguista, em 23 de maio de 1932.

A sigla M.M.D.C que remete às iniciais dos nomes pelos quais os estudantes mortos eram conhecidos (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo), se transformaram no símbolo do movimento, como mostra o cartaz de convocação de voluntários para a Revolução Constitucionalista, do acervo do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB).

Entre os meses de julho e outubro de 1932, as ruas de São Paulo foram o cenário de conflitos entre os revoltosos e as tropas do governo federal. O movimento, que exigia a promulgação de uma nova Constituição, fracassou no dia 1º de outubro de 1932, quando foi assinada a rendição que pôs fim à Revolução. Os principais líderes da revolta tiveram os seus direitos políticos cassados e foram deportados para a Europa.

Um dos monumentos mais emblemáticos de São Paulo faz referência à Revolução de 9 de julho de 1932. Trata-se do Obelisco do Ibirapuera, oficialmente chamado Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32. Lá estão sepultados os corpos de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo e de outros 713 mortos durante o movimento paulista anti-Vargas.

O Obelisco, que tem 72 metros de altura, está localizado no Complexo Viário Ayrton Senna no Parque Ibirapuera. O monumento foi feito em mármore e inaugurado em 9 de julho de 1955, com projeto do escultor ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili e execução do engenheiro alemão radicado no Brasil Ulrich Edler.

Flávia Avancini