Dia do Petróleo

petroleo
Standard

Dia do Petróleo é comemorado em 29 de setembro no Brasil.

A palavra petróleo vem do latim Petra (pedra) e oleum (óleo), com o sentido literal de um “óleo que nasce da pedra”. Na verdade, o petróleo se origina da combinação entre moléculas de carbono e hidrogênio.
Existem diversas teorias que tentam explicar de onde vem o petróleo. A mais aceita, na atualidade, é a crença de que o óleo tenha surgido dos restos orgânicos de bichos, animais e vegetais no oceano sendo que, quando morreram, suas células sofreram diversas mutações por milhares de anos até que chegamos ao petróleo de hoje, além da pressão que sofreram pela sedimentação das rochas.

Acredita-se que o rei da Babilônia Nabucodonosor, teria utilizado o betume como substância indispensável para proporcionar a liga para a massa das construções dos lendários Jardins Suspensos da Babilônia.
Também os egípcios teriam feito uso do petróleo para embalsamar os mortos e na construção de pirâmides.

Mas foi apenas no século XVIII que o petróleo começou a ser utilizado comercialmente. No início, ele foi útil na iluminação, na forma de querosene utilizado nas lâmpadas que permitiam à população, tanto das cidades como do campo.

Com a invenção dos motores movidos a gasolina e diesel, o petróleo começou a adquirir mais importância e a busca por ele se tornou maior. As primeiras operações de perfuração do solo em busca do petróleo, algo ainda bastante ousado para a época, teriam acontecido nos Estados Unidos, por volta de 1850. O homem que deu início à perfuração de poços de petróleo foi Edwin L. Drake, que, por sua ousadia, ficou conhecido como “Drake, o louco”. Paralelamente, a Europa também iniciava sua produção, que teve de enfrentar uma competição bastante acirrada com outras matérias-primas consideradas mais nobres, como o carvão, a linhita, turfa e alcatrão.

Hoje o petróleo é uma das matérias-primas mais importantes da civilização moderna.
A parafina, o gás natural, os solventes, o querosene, os óleos combustíveis, a nafta petroquímica e o GLP são algumas das outras utilidades essenciais do petróleo.

É utilizado como fonte de energia e seus derivados são transformados em plástico, borracha sintética, tintas, corantes, adesivos, solventes, detergentes, explosivos, produtos farmacêuticos e de cosmética, abastecer todos os veículos, como carros, motocicletas, navios, aviões, entre outros entre outras muitas aplicações.

Os maiores exportadores de petróleo são, respectivamente, Arábia Saudita, Rússia, Emirados Árabes e o Kuwait. Os maiores consumidores são Estados Unidos, China, Japão e Índia. As maiores reservas, ou seja, a disponibilidade do produto na natureza, são da Arábia Saudita, Venezuela, Canadá e Irã. O Brasil possui amplas reservas, muitas delas disponíveis na camada do Pré-Sal, localizada em partes do Oceano Atlântico localizadas próximo ao litoral do país.

Os EUA estão entre os maiores produtores de petróleo, mas são também aqueles que mais consomem, de modo que sua produção interna não é capaz de dar conta de todo o seu consumo, o que o faz intervir politicamente em outras regiões a fim de conseguir melhores acordos comerciais para garantir a compra com preços menos elevados.

Os combustíveis fósseis (naturais) envolvem questões econômicas, ambientais e também políticas – a manutenção da segurança energética e a disputa pelo controle do petróleo são frequentemente associadas a fatores de conflitos em diversos países.

Por conta disso, inúmeros desentendimentos geopolíticos ocorreram e ainda, a maioria deles envolvendo ou tendo a participação dos Estados Unidos da América (EUA), que são bastante dependentes do petróleo para se desenvolverem.

  • Rússia e Turquia;
  • Iraque ”Estado Islâmico” e Síria;
  • Invasão do Iraque;
  • 1ª Guerra do Golfo;
  • Golpe de Estado no Irã (1953)
  • 2ª Guerra Mundial

De todo modo, estimativas apontam que o petróleo no mundo deve acabar em um futuro próximo, em cerca de 40 ou 50 anos, desde que mantidos os atuais padrões de consumo. Por esse motivo, vários países incluindo o Brasil estão investindo em novas tecnologias para a produção de outros combustíveis, de preferência aqueles que poluem menos que o petróleo.

 

Flávia Avancini

22 DE SETEMBRO – DIA DA JUVENTUDE DO BRASIL

juventude-blog
Standard

Dia da Juventude do Brasil é celebrado anualmente em 22 de setembro. Além de 22 de setembro, existem outras datas em que se celebra a juventude, como o dia 30 de março e também o dia 12 de agosto, onde se celebra o Dia Internacional da Juventude.

Os jovens não aguardam ser compreendidos e tampouco pedem licença para participarem ativamente das mudanças. Como grande impulso para as transformações sociais a juventude se apresenta como fio condutor das transformações sociais.

Garantida no Estatuto da Juventude, a participação social e política dos jovens é entendida como um processo em que eles buscam influenciar e compartilhar o controle e a responsabilidade das decisões e do destino dos recursos que lhes afetam.

Nas décadas de 1960 e 1970, a participação dos jovens foi estratégica para o fim da ditadura militar ao representarem a grande resistência a esse regime político. Num passado mais recente, na década de 1990, eles pressionaram o governo pelo impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello, e, em junho de 2013 e no começo de 2014, diferentes manifestações organizadas por jovens de metrópoles brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro, mostraram que a juventude quer ter cada vez mais o direito à cidade.

No Brasil desde 2013 o Estatuto da Juventude garante um novo marco jurídico regulatório para o público jovem. Esse novo olhar foi sendo construído um pouco antes, com a criação da Secretaria Nacional de Juventude em 2005. Em 2010 houve a incorporação da palavra “juventude” à Constituição Federal Brasileira pela Emenda Constitucional nº 65, que abriu caminho que se deu com o Estatuto da Juventude.
Atualmente, os jovens constituem uma das maiores parcelas da população brasileira e representam quase 30% do eleitorado brasileiro aptos a votar nas eleições. Conquistada pelo movimento estudantil brasileiro, a possibilidade de voto aos 16 anos foi incorporada na Constituição Federal de 1988 e é um direito garantido, apesar de não ser uma obrigatoriedade. Segundo pesquisas elaboradas pela Justiça Federal, o combate à corrupção é uma das principais preocupações.

O jovem eleitorado procura, antes de votar, se manter cada vez mais informado sobre os candidatos que se apresentam aos cargos. Nas eleições de 2014, de acordo com as informações da Justiça Eleitoral, 1.638.751 jovens, de 16 e 17 anos, votaram. Como na maioria da população brasileira, o desejo de mudança está impregnado em 63% deles, que acreditam que o Brasil não está no rumo certo. Eles querem serviços públicos de mais qualidade, maior conectividade, acessos livres a banda larga e a tecnologia de ponta sem abrir mão da manutenção do poder de compra.

É importante popularizar o Estatuto para que os jovens conheçam seus direitos e vejam nele um instrumento legal de reivindicação para melhorar suas condições de vida e se apropriem dessa discussão sobre as políticas públicas para a juventude, especialmente da nova legislação que amplia algumas discussões mais específicas sobre o público adolescente jovem.

quadro-de-direitos

Flávia Avancini

Dia do Cliente (15/09)

dia-do-cliente-blog
Standard

CLIENTE vem do Latim CLIENS, “protegido de um patrono”.
O termo cliente permite fazer alusão à pessoa que tem acesso a um produto ou serviço mediante pagamento.
Dependendo do contexto, a palavra cliente pode ser usada como sinônimo de comprador (a pessoa que compra o produto), utilizador (a pessoa que utiliza o serviço) ou consumidor (quem consome um produto ou serviço).

O Dia do Cliente foi criado no estado do Rio Grande do Sul pelo empresário gaúcho José Carlos Rego, especialista em Marketing e Recursos Humanos.
 O dia 15 de setembro foi escolhido como Dia do Cliente por ser também o Dia Nacional da Defesa do Consumidor.

O papel do cliente ao longo do tempo:

Idade Média Era do Produto
(1820-1970)
Era do Cliente
(1970-hoje)
Fornecedores conhecia
bem seus clientes;
comunicação direta
Empresas vendiam tudo o
que produziam.
Cliente ficou em segundo plano.
Competição
acirrada retorna a
questão da excelência no
atendimento para
conquistar o cliente

A construção de um bom relacionamento entre o cliente e a empresa é fundamental, os clientes devem ser reconhecidos, identificados e expandidos. Para isso acontecer, é preciso conhecer bem, saber manter a comunicação, ouvir as necessidades e reconhecer a sua fidelidade.

Hoje em dia, esta proximidade é uma das práticas mais comuns entre as empresas, pois o desenvolvimento de retenção de clientes deve ser iniciado com a escolha do cliente, a identificação de suas necessidades, definição dos serviços prestados dispondo de funcionários motivados e capacitados.

Para compreender adequadamente o cliente, é necessária uma mudança de posição. Quando falamos em foco NO cliente, a posição que nos vem à mente é estarmos “frente a frente” com o cliente. E quando olhamos para um cliente nós o vemos, mas o que ele vê e espera está do lado oposto;

A empresa que se coloca ao lado do cliente (giro de 180 graus) passa a analisar a perspectiva DO cliente. E nesta nova perspectiva a empresa consegue fugir da comodidade danosa do foco induzido pelo cliente, colocando à disposição do cliente suas múltiplas competências, permitindo superar a sua expectativa e melhorar o seu resultado. Esta é a visão que revela a paisagem que os olhos e sentidos do cliente e suas verdadeiras necessidades muito antes delas estarem prontas para serem verbalizadas por ele mesmo.

Empatia: colocar-se verdadeiramente no lugar do cliente. Quando fazemos os nossos serviços, devemos entender como pode estar interligado na vida das pessoas envolvidas.
Realizar com dedicação e, por que não dizer, o amor que empregaríamos se aquilo fosse para nós.

Fazer o melhor: Precisamos dar o nosso melhor, fazer da melhor forma possível. Este é um bom lugar para se começar. Se empregamos o nosso melhor, então, por lógica, prestaremos o melhor serviço que nos seria possível.


 Flávia Avancini

PROFISSÃO: ATLETA

blog
Standard

Se perguntarmos a qualquer pessoa: Quem é atleta profissional? Teremos respostas semelhantes, ou seja, atleta profissional é aquele que faz do esporte a sua profissão. Mas, se perguntarmos sob a visão legal, a resposta será diferente.

A Lei Pelé, Lei 9.615/98, atleta profissional é aquele que celebra um contrato de trabalho remunerado entre o atleta e a entidade desportiva.
O curioso é que a lei Pelé dita obrigatoriedade somente aos jogadores de futebol de campo, ou seja, exige que tenham vinculo empregatício e registro na Federação de Futebol, para que o atleta tenha condição de jogo e possa atuar profissionalmente em competições oficiais.
Importante destacar que na realidade, para ser atleta profissional não é necessário um contrato de trabalho com alguma entidade desportiva, pois em sua maioria os atletas que se dedicam exclusivamente a pratica esportiva e tiram dela o seu sustento, não são contratados formalmente.

A rotina de um atleta é regida por disciplina, determinação, foco e autoconfiança, características pessoais fundamentais para profissionais de qualquer área que desejam alta performance.

Sequencias de treinos cada vez mais intensos, exigem um cuidado especial com a saúde e condicionamento físico; não sentir dor é uma missão quase que impossível. Várias vezes competem com muitas dores, seja qual for a modalidade esportiva.
Assim como nas empresas, o atleta é extremamente cobrado por seus resultados, o risco de perder a posição na grade esportiva é muito alto.
Além do árduo treinamento, o dia-a-dia dos atletas é feito de constantes mudanças.
O atleta tem que ser flexível e adaptar-se com facilidade às mudanças de país e de cultura; muitas vezes num cenário de solidão.

Psicólogos e outros profissionais da área que trabalham no desenvolvimento profissional dos atletas destacam as principais competências comportamentais:

  • CompetitividadeParece óbvio, porem existem atletas que apresentam mais motivação e empenho para vencer que outros.
  • ResiliênciaO atleta vive constantemente sob cobrança de si mesmo e dos demais que estão em seu entorno, por vezes vitorioso, considerado um campeão e, momentos seguintes um derrotado.
  • Relacionamento e fair play – Relacionamento colaborativo com os colegas de esporte; respeito aos superiores (treinador, arbitro), especialmente ético e cumpridor de regras.

A carreira de um atleta inicia muito cedo (em média 14 anos) e termina no auge da melhor idade de qualquer outro profissional (em média 35 anos).

A aposentadoria precoce destes profissionais costuma ter um panorama bastante realista e pragmático. Em geral, é preciso buscar outras alternativas profissionais e de renda que terão no futuro envolvendo possivelmente com ganhos menores e uma nova estrutura financeira para transição tão precoce.

 

P. Gratz