Compliance?

Standard

O verbo “to Comply” (inglês) significa obedecer, cumprir, agir em consonância plena com as regras. Compliance empresarial, significa estar absolutamente em linha com normas, controles internos e externos. É a área responsável por assegurar o cumprimento de todas as imposições dos órgãos de regulamentação, dentro de todos os padrões exigidos de seu segmento; em todas as esferas: trabalhista, fiscal, contábil, financeira, ambiental, jurídica, previdenciária, ética, entre outras.

O respeito às normas legais sempre foi necessário para as organizações, mas hoje existem fatores que tornam a situação das regras mais complexa que nunca. O mercado mundial é globalizado, então, se uma empresa brasileira vende produtos para o mercado russo, para se manter em compliance, precisará seguir leis do Brasil e, também as do país importador.

Benefícios

Transparência e credibilidade junto aos colaboradores, clientes, fornecedores, entre outros.

Estabelecimento de uma relação justa e confiável com seus colaboradores.

Aumento da eficiência e da qualidade dos serviços prestados;

Garantia da idoneidade corporativa e da segurança jurídica, trabalhista, fiscal…

Garantia da expansão de mercado com empresas sérias, e igualmente idôneas.

Fortalecimento da Marca.

Compliance Officer

                O compliance officer é o profissional responsável por garantir que todas as regras internas e externas da empresa sejam cumpridas. Para tanto, o compliance officer gerencia um programa de integridade, garantindo a ética na conduta da empresa. Essa responsabilidade exige principalmente o conhecimento jurídico, sendo comum advogados ocuparem essa função, seja como colaborador ou consultor externo.

Formação e Habilidades

O compliance officer ocupa um cargo de confiança, o que exige comportamento ético impecável e caráter integro inquestionável.

Requer facilidade de comunicação e capacidade de relacionamento, já que ele deverá ser capaz de transitar por todas as áreas internas e acompanhar situações externas.

Requer postura de autoridade, mas não como um fiscal inimigo, mas sim um como um guardião da idoneidade empresarial.

Requer perfil negociador e capacidade de argumentação e persuasão sobre a melhor atitude a ser tomada, mesmo que esta não seja a estratégia mais popular.

Para se tornar um compliance officer, é necessário aprofundar-se em estudos de direito empresarial, administração, finanças e gestão corporativa. Uma boa opção é realizar uma pós-graduação em MBA (Master of Business Administration).

                            ________________________**********_____________________

              Com o crescimento das redes sociais, as empresas estão cada vez mais expostas à avaliação rigorosa do mercado e dos órgãos reguladores; programas de compliance, têm se tornado mais abrangentes e importantes para a integridade das empresas. O cliente está muito mais preparado e exigente, em meio às muitas opções de marcas de serviços ou produtos buscam parceiros responsáveis, éticos e que possam estabelecer uma relação comercial de confiança.

PGratz – fevereiro 2020