Liderança Reversa

Standard

Aprender a aprender  

Por muito tempo nos acostumamos a ser liderados por professores, instrutores e líderes mais velhos; sinônimo de sabedoria e autoridade, mas com as transformações sociais e tecnológicas esse quadro está mudando.

Normalmente acreditamos que o tempo de experiência e as certificações são os requisitos fundamentais para um profissional estar habilitado para ensinar, orientar e ser respeitado como professor. Contudo, o que observamos é que as gerações que nasceram após os anos 80 chegam com um ritmo muito maior de aprendizagem e uma boa bagagem de informações.

Essa ideia de que os mais jovens poderiam colaborar com os mais experientes surgiu e começou a ser praticada numa empresa americana em 1999, quando seu presidente pediu para que seus executivos buscassem os funcionários mais jovens para aprender sobre a internet, e a partir deste momento tornou-se uma prática adotada em todo o mundo, principalmente com o desenvolvimento contínuo das tecnologias de informação e comunicação.

Esses jovens têm uma tendência a estarem mais atualizados no que há de mais novo e a compreender melhor certas transformações; pois eles nasceram na era digital e vivem no ritmo da internet. Por outro lado, as gerações anteriores são muito mais cautelosas e conservadoras, por vezes resistem às mudanças tecnológicas e tem demasiada resistência em aceitar ensinamentos de colegas mais jovens.

Áreas como marketing digital, publicidade, propaganda, recursos humanos, educação, computação e comunicação têm sido forte exemplo de áreas que cada vez mais sentem a necessidade dessa flexibilidade e disposição para atualizações e mudanças constantes. O que acontece é que os jovens ainda enfrentam resistência por parte de muitas pessoas mais experientes por causa do argumento da idade. Ainda bem que já existem diversas iniciativas ao redor do mundo que dão essa oportunidade de liderança para as novas gerações.

Elementos que fazem parte de uma boa liderança reversa:

  • Os liderados devem estar com a cabeça aberta e dispostos às mudanças para realmente aproveitar a oportunidade de aprendizado e desenvolvimento.
  •  As expectativas devem ser alinhadas entre líderes e liderados, para que os resultados sejam obtidos com sucesso.
  • Ambas partes têm que entender que não é um processo baseado em dizer que um lado é melhor ou sabe mais que o outro, mas que ambos estão em funções distintas, têm experiências diferentes e que todos podem aprender uns com os outros.

A liderança reversa constitui-se na troca de experiências e competências entre as gerações, sendo uma forma saudável de contribuir com o desenvolvimento de pessoas e organizações, pois estes jovens são os construtores mais influentes do futuro que já se apresenta para o mundo.

 

 

Paula Gratz