Relacionamento Amoroso entre Colegas de Trabalho

Standard

A maior parte de nosso tempo, passamos no trabalho. As atividades sociais inerentes a ele entram nesse cotidiano como happy hours, festas de confraternização, entre outros eventos corporativos.
Basta um olhar mais demorado, um sorriso diferente entre uma gracinha e outra… pronto! Está criado o ambiente oportuno para pintar uma atração e o cupido flechar corações.

Muito já se discutiu nos bastidores de Recursos Humanos sobre as possíveis consequências do relacionamento amoroso no ambiente de trabalho. Imaginem vocês! Em épocas passadas, os colaboradores enamorados já sabiam que se casassem, um permaneceria na empresa e o outro era dispensado.
Essa época já passou e, atualmente agem ilegalmente as empresas que não permitirem que os colegas namorem.
As empresas podem, legalmente, determinar limites e regras para que esses relacionamentos amorosos não interfiram e nem atrapalhem a dinâmica regular do trabalho.
A primeira atitude quando um casal se forma no ambiente de trabalho é separar a relação amorosa da vida profissional. Pode parecer fácil, mas não é. Não somos seres assim tão racionais e, por diversas razões e ocasiões os impulsos afetivos podem sobrepor à razão.

Algumas dicas para quem tem um relacionamento amoroso no trabalho:

  • Carícias, apelidos, cenas de ciúme nas dependências da empresa nem pensar!
  • Troca de e-mails e mensagens pessoais dentro do local e horário, também não;
  • Discutir a relação no local de trabalho é muita exposição.
  • Não controle, nem impeça as amizades do seu companheiro com os demais colegas de trabalho;
  • Cuidado para não correrem o risco de se distanciar do grupo de trabalho por qualquer motivo que seja;
  • Caso o relacionamento termine, é importante manter a discrição e não falar mal um do outro;
  • Conviver simultaneamente numa relação amorosa e profissional requer a habilidade de passar de um papel para o outro com a destreza de um equilibrista.

P. Gratz