Doenças Psicossomáticas no Trabalho

Evil Erin
Standard

Depressão, síndrome do pânico, gastrite, gripes constantes, tontura, dor de cabeça, psoríase, entre tantas outras, são doenças que podem ser desenvolvidas no ambiente de trabalho!
Claro que vocês já ouviram falar em somatização. Apenas para relembrar: “Somatização refere-se a sintomas físicos que a medicina não consegue explicar a origem, normalmente surgem por uma descompensação emocional que abalam diretamente o sistema psíquico. O sistema psíquico abalado eleva o nível da ansiedade, que por sua vez, estimula a liberação de hormônios que podem afetar diretamente o mecanismo fisiológico mais sensível do indivíduo.”
A somatização é inerente ao ser humano. Todos estamos sujeitos a passar por esta situação tanto em casa, quanto na escola, no trabalho, nos relacionamentos com a familiares ou amorosos, situações de inadimplência ou perda de entes queridos, entre outros. É inevitável que situações difíceis e de pressão venham a ocorrer conosco. E o que fazer para impedir que os impactos destas situações se desenvolvam no nosso corpo?

  • Faça uma atividade que lhe dê prazer. Pode ser cozinhar, ler, assistir uma série na TV, rever jogos importantes do seu time, colorir, cantar. Vale qualquer coisa, sua imaginação é o limite.
  • Pratique uma atividade física. Se para você é muito difícil frequentar uma academia, faça uma caminhada, dance. Libere endorfina!
  • Conheça seu corpo e sua mente. Explore seus limites, aproxime-se de pessoas que lhe fazem bem e afaste-se das que lhe fazem sentir mal.
  • Caso seja necessário, busque orientação médica. O stress excessivo pode causar queda na imunidade e será preciso iniciar um tratamento.
  • Da mesma forma, cuide da sua mente. Considere fazer terapia, um bom profissional lhe ajudará a organizar suas ideias e observar seus pensamentos por uma nova ótica.

Todo o trabalho tem suas responsabilidades. E é impossível afirmar que, mesmo naquele emprego dos sonhos, você não terá um ou outro dia mais estressante. Você pode até ter um chefe que “pega no seu pé” afim de melhores resultados. Dentro da empresa sempre existe aquela pessoa que lhe custa um pouco mais de paciência. Mas, o prazer de trabalhar naquilo que você gosta deve ser maior do que tudo isso. Quando esse ecossistema se desequilibra e você começa a se incomodar, é o momento de rever as condições de trabalho e tomar atitudes na profissional.

Luciana Martino e Reinaldo Araujo