Profissionais parceiros que fazem melhor o dia a dia dos PCD’s

Standard

Inicio esse texto ressaltando o trabalho da Proativa no recrutamento & seleção de profissionais PCD’s. Temos uma grande identificação com esse público e suas histórias de vida. Nosso relacionamento profissional com eles faz parte de uma pequena parte do universo de relacionamentos que giram ao redor de uma pessoa com deficiência.
Dependendo da gravidade da deficiência, o envolvimento com outros profissionais se dá de forma mais ou menos intensa. Para alguns PCD’s, basta uma consulta esporádica ao médico para que a deficiência esteja sob controle. Entretanto, uma grande parte precisa de um acompanhamento multidisciplinar, que envolve professores, fisioterapeutas, médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, entre outros.
São pessoas que requerem cuidados e adaptações para que sua relação com o mundo e com o as empresas onde atuam seja a mais natural e confortável possível. Inúmeros profissionais trabalham para que esse objetivo seja atingido, de forma direta ou indireta.
Lidar com o PCD de forma direta significa ensinar, aprimorar e desenvolver. O fisioterapeuta, através de exercícios específicos, faz com que o andar ou a movimentação de braços atinjam patamares sonhados; graças às sessões de fonoaudiologia a comunicação torna-se mais clara; o aprendizado de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e do braile, garantem a interação com o mundo; o acompanhamento médico traz a segurança e a esperança de novos procedimentos e remédios; o psicólogo ajuda a compreender e a lidar com a deficiência.
Indiretamente são engenheiros e técnicos que criam e desenvolvem um novo software de voz, aparelhos auditivos cada vez mais potentes, carros adaptados, enfim, possibilidades de inserção no mundo sempre bem vindas.
Na verdade, não importa quem é o profissional que lida com o PCD, qual é a sua especialidade ou sua área de atuação, o que importa é que essa relação seja de respeito, parceria e dignidade. Nós da Proativa estamos constantemente aprendendo com eles, e buscando nessa relação, a troca necessária para que haja crescimento, dos dois lados!

Luciana Martino


Você vai gostar de ler também: