Eu amo a Psicologia

Standard

IAMONa década de sessenta, meu querido pai (que Deus o tenha!) desejou para mim a carreira de médica, independente da especialidade, desde sempre quis que sua filha única fosse “médica” – Doutora Paula Gratz!
No início, lá pelos meus 12 anos, eu pensei: legal! Acho que eu vou gostar de cuidar das pessoas. O tempo passou e levou para bem distante o sonho do meu pai e junto a menor possibilidade de cursar medicina
Foi quase por acaso o despertar de meu interesse por psicologia, que permanece intenso até os dias de hoje. Olha só! Eu estava lendo uma revista de atualidades da época e uma matéria chamou-me a atenção, falava sobre um cara chamado: Sigmund Freud, o encantamento foi de imediato e tão grande que na mesma semana pedi para minha vó (minha cumplice) comprar um livro: EU E O ID de S. FREUD (1923-1925).
O final da história é bem fácil de adivinhar, cursei psicologia com total convicção e meu pai lamentou-se por um período, apregoando minha preferencia por tratamento de loucos.
Pois é! A verdade é que o dia 27 de Agosto de 1962 representa o fim do movimento de profissionais de várias áreas como Educação, Engenharia, Medicina, Filosofia, entre outros, que vinham exercendo a profissão de psicólogo ou ensinando psicologia nos cursos de Filosofia e Pedagogia.
Por um longo período, nos psicólogos enfrentamos reações da classe médica que eram contra a prática psicoterapia por profissionais sem a formação médica.
Esta data também marca o início do período profissional da Psicologia, pois, mesmo com o surgimento do primeiro curso de graduação na área, na década de 1950, é a partir do dia 27 de Agosto de 1962, que começa o ensino formal e reconhecido por lei.
Por tudo isso, todo dia 27 de Agosto é celebrado no Brasil o dia do Psicólogo; comemoramos uma história de perdas e vitórias, alcançadas por profissionais que batalharam para as conquistas atuais cabendo aos psicólogos de hoje, então, construir a história que deverá ser comemorada no futuro.

P. Gratz

Juramento do Psicólogo:
“como psicólogo, eu me comprometo a colocar minha profissão a serviço da sociedade brasileira, pautando meu trabalho nos princípios da qualidade técnica e do rigor ético. Por meio do meu exercício profissional, contribuirei para o desenvolvimento da psicologia como ciência e profissão na direção das demandas da sociedade, promovendo saúde e qualidade de vida de cada sujeito e de todos os cidadãos e instituições.”


Você vai gostar de ler também: