A Ansiedade no Desemprego

Standard

Quem, após um dia de trabalho intenso ou no final de um grande projeto, não suspirou cansado e desejou longas férias distantes de qualquer coisa relacionada ao seu trabalho? Desvencilhar-se de toda essa rotina é mágico e, por um tempo determinado conhecido também como “férias”, é necessário para saúde física e mental. Quando a falta de rotina torna-se rotineira, ela pode ser tão prejudicial quanto o trabalho em excesso.
Na situação de desemprego, imediatamente, a preocupação em relação ao recebimento dos salários é o primeiro sentimento que aparece. E não demora muito para a tão agitada rotina e a falta de tempo, que antes poderiam ser motivo de queixa, começarem a fazer falta. Tudo isso como plano de fundo da incansável busca por um novo emprego. Este é o ambiente propício para o surgimento da ansiedade, um estado psíquico de apreensão ou medo provocado por uma situação desagradável.
E assim, em meio a uma rotina que aparentemente demanda menor comprometimento com os horários e tarefas, a pressão do arrocho financeiro, a falta de oportunidades de trabalho e retornos negativos das entrevistas, acumulam no indivíduo um sentimento de urgência e de sofrimento por antecipação, também como a tristeza e o desânimo crescentes. Este misto de preocupação e esmorecimento podem, sim, influenciar de forma prejudicial a performance nas entrevistas de emprego e no cronograma de prospecção de um novo trabalho.
A busca ativa por um novo emprego demanda foco e atenção. A prontidão é conveniente no primeiro contato feito pela área de RH e no agendamento da entrevista. E, por fim, a tranquilidade e a confiança, são indispensáveis para um bom resultado na entrevista. Tais atribuições podem ser ofuscadas caso a ansiedade do candidato não esteja sob controle.
Deixar de definir horários para buscar vagas de trabalho, sob o pretexto de ter o dia inteiro para fazê-lo, descaracteriza o sentido de comprometimento com o objetivo. Considerar a busca de vagas como um trabalho, separando horários para pesquisa e descanso é essencial para a obtenção de bons resultados.
Igualmente, o comportamento flexível e engajado do candidato pode ser prejudicado caso este dificulte o agendamento da entrevista em detrimento de outros compromissos. Neste ponto é preciso avaliar as prioridades de sua agenda, programando suas atividades de forma versátil.
Durante a entrevista, detalhes como inquietude e longas respostas podem prejudicar a avaliação do candidato por parte do analista. Mesmo que seja um momento onde a tensão é inevitável, afinal há muito em jogo, é preciso ter calma, além de ser sucinto nas respostas e na apresentação.
Também é necessário desligar-se dessa rotina, definindo dias de descanso e momentos para si mesmo durante o dia. Exercícios físicos, mesmo uma simples caminhada, liberam substâncias que provocam a sensação de bem-estar, que é essencial para manter a tranquilidade e a atenção.
Durante períodos críticos e austeros como o do desemprego, a ansiedade tende a atrapalhar muito mais do que ajudar. É impossível não vivenciar esse misto de sentimentos apreensivos durante essa situação. Por este motivo, também é necessário permitir-se sentir tudo isso. Mas, em contrapartida, é imprescindível tomar atitudes diárias que atraiam o bem-estar e a segurança. Viver bons momentos, salienta as qualidades da personalidade, que são primordiais num processo seletivo.

Reinaldo Araujo


Você vai gostar de ler também: