Dia do Petróleo

petroleo
Standard

Dia do Petróleo é comemorado em 29 de setembro no Brasil.

A palavra petróleo vem do latim Petra (pedra) e oleum (óleo), com o sentido literal de um “óleo que nasce da pedra”. Na verdade, o petróleo se origina da combinação entre moléculas de carbono e hidrogênio.
Existem diversas teorias que tentam explicar de onde vem o petróleo. A mais aceita, na atualidade, é a crença de que o óleo tenha surgido dos restos orgânicos de bichos, animais e vegetais no oceano sendo que, quando morreram, suas células sofreram diversas mutações por milhares de anos até que chegamos ao petróleo de hoje, além da pressão que sofreram pela sedimentação das rochas.

Acredita-se que o rei da Babilônia Nabucodonosor, teria utilizado o betume como substância indispensável para proporcionar a liga para a massa das construções dos lendários Jardins Suspensos da Babilônia.
Também os egípcios teriam feito uso do petróleo para embalsamar os mortos e na construção de pirâmides.

Mas foi apenas no século XVIII que o petróleo começou a ser utilizado comercialmente. No início, ele foi útil na iluminação, na forma de querosene utilizado nas lâmpadas que permitiam à população, tanto das cidades como do campo.

Com a invenção dos motores movidos a gasolina e diesel, o petróleo começou a adquirir mais importância e a busca por ele se tornou maior. As primeiras operações de perfuração do solo em busca do petróleo, algo ainda bastante ousado para a época, teriam acontecido nos Estados Unidos, por volta de 1850. O homem que deu início à perfuração de poços de petróleo foi Edwin L. Drake, que, por sua ousadia, ficou conhecido como “Drake, o louco”. Paralelamente, a Europa também iniciava sua produção, que teve de enfrentar uma competição bastante acirrada com outras matérias-primas consideradas mais nobres, como o carvão, a linhita, turfa e alcatrão.

Hoje o petróleo é uma das matérias-primas mais importantes da civilização moderna.
A parafina, o gás natural, os solventes, o querosene, os óleos combustíveis, a nafta petroquímica e o GLP são algumas das outras utilidades essenciais do petróleo.

É utilizado como fonte de energia e seus derivados são transformados em plástico, borracha sintética, tintas, corantes, adesivos, solventes, detergentes, explosivos, produtos farmacêuticos e de cosmética, abastecer todos os veículos, como carros, motocicletas, navios, aviões, entre outros entre outras muitas aplicações.

Os maiores exportadores de petróleo são, respectivamente, Arábia Saudita, Rússia, Emirados Árabes e o Kuwait. Os maiores consumidores são Estados Unidos, China, Japão e Índia. As maiores reservas, ou seja, a disponibilidade do produto na natureza, são da Arábia Saudita, Venezuela, Canadá e Irã. O Brasil possui amplas reservas, muitas delas disponíveis na camada do Pré-Sal, localizada em partes do Oceano Atlântico localizadas próximo ao litoral do país.

Os EUA estão entre os maiores produtores de petróleo, mas são também aqueles que mais consomem, de modo que sua produção interna não é capaz de dar conta de todo o seu consumo, o que o faz intervir politicamente em outras regiões a fim de conseguir melhores acordos comerciais para garantir a compra com preços menos elevados.

Os combustíveis fósseis (naturais) envolvem questões econômicas, ambientais e também políticas – a manutenção da segurança energética e a disputa pelo controle do petróleo são frequentemente associadas a fatores de conflitos em diversos países.

Por conta disso, inúmeros desentendimentos geopolíticos ocorreram e ainda, a maioria deles envolvendo ou tendo a participação dos Estados Unidos da América (EUA), que são bastante dependentes do petróleo para se desenvolverem.

  • Rússia e Turquia;
  • Iraque ”Estado Islâmico” e Síria;
  • Invasão do Iraque;
  • 1ª Guerra do Golfo;
  • Golpe de Estado no Irã (1953)
  • 2ª Guerra Mundial

De todo modo, estimativas apontam que o petróleo no mundo deve acabar em um futuro próximo, em cerca de 40 ou 50 anos, desde que mantidos os atuais padrões de consumo. Por esse motivo, vários países incluindo o Brasil estão investindo em novas tecnologias para a produção de outros combustíveis, de preferência aqueles que poluem menos que o petróleo.

 

Flávia Avancini